Os Shal’dorei de Suramar

by luizcsilva on 29 de agosto de 2017

Poderosamente mágico – para eles a magia da Nightwell é, literalmente, comida e bebida – os Nightborne são os antigos sobreviventes da grande cidade de Suramar, o berço de muitos Elfos Noturnos notáveis vivos hoje em dia. Jarod e Maiev Shadowsong, Malfurion e Illidan Stormrage Tyrande Whisperwind – todos foram amarrados a Suramar. Mas a cidade a muito tempo foi pensado que tinha se perdido na implosão mágica terrível quando o Well of Eternity repartido Kalimdor, antigo continente diferente do que conhecemos hoje.

Desconhecido para qualquer economia de seus habitantes, Suramar sobreviveu. E dentro da barreira que eles criaram, o Shal’dorei (Nightborne, na antiga Darnassian) que se manteve durante todos esses milhares de anos. Mas a sua sobrevivência não veio sem um preço.

Suramar | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

No passado antigo

A Grande Magistrix Elisande era apenas o líder de uma pequena seita de feiticeiros Highborne encarregados pela Rainha Azshara e de caçar segredos mágicos antigos e itens de poder. Ela e seus seguidores foram baseados em Suramar, do outro lado da Well of Eternity de Zin-Ashari, uma cidade fantástica que rivalizava com a capital de Azshara de grandeza. E eles foram bem sucedidos, localizando muitos artefatos, incluindo um dos itens mais valiosos da Forja Titânica: o Olho de Aman’Thul. Todos foram coletadas nos cofres em Suramar por Elisande e seus feiticeiros. Ferozmente leal a Rainha Azshara, eles nunca sonhavam em usar os artefatos, como fizeram os elfos rebeldes de Azsuna.

Não, mesmo depois que Azshara fez seu pacto com à Legião Ardente, os Highbornes de Suramar permaneceram leais a ela.

Mesmo depois que os exércitos de demônios começaram a sair do portal criado por Azshara e Xavius, eles permaneceram fiéis. Mas rachaduras foram formando na lealdade. Ficou claro que os demônios não tinham a sociedade Elfica em mente, não estavam preocupados com o povo de Kalimdor. Ainda assim, como Kur’talos Ravencrest e sua resistência lutou contra os demônios, Elisande não se juntou a eles. Levantar as armas contra Azshara parecia loucura – a rainha era tão poderosa e tão amada, como poderia Elisande possivelmente traí-la?

A destruição de Azsuna quando Azshara quebrou a maré de pedra de Golganneth e amaldiçoou o príncipe Farondis e ao seu povo a uma eternidade como fantasmas foi a sua primeira chamada ao despertar. Ele foi seguido por outros: os aliados demoníacos de Azshara procurou abrir outro portal, este no Templo de Eluna através da baía de Suramar. Tal atração poderosa e mágica no Well of Eternity poderia destruir a cidade de Suramar inteiramente no processo de abri-lo. Ainda rasgado, Elisande finalmente decidiu que ela não poderia mais servir Azshara. A rainha que tinha ficado louca ou simplesmente nunca se importou com o seu povo em tudo. De qualquer maneira, seus aliados demônios devem ser interrompidos.

Em um ato de desafio, Elisande invadiu os cofres, ela mesma tinha criado e usado o poderoso Olho de Aman’Thul – um dos Pilares da Criação utilizado na ordenação de Azeroth – para selar e afastar o portal no Templo antes que pudesse ser aberto. Mas mesmo que ela tivesse sido flagrada em um ato contra Azshara e os demônios, Elisande não teve coragem de lutar ativamente contra a Legião juntamente com a resistência Kaldorei.

Suramar | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

O plano desesperado de Elisande’s

Elisande previu a destruição que a Legião causaria a Kalimdor. Ao invés de tentar combatê-los, ela escolheu preservar o que ela podia. Assim como ela uma vez recolheu relíquias de poder, ela agora decidiu recolher o maior número de pessoas de Suramar quanto possível.

Usando o Olho de Aman’Thul, ela teceu uma barreira em torno Suramar. Este foi um ato extremamente caro, e muito do Suramar (incluindo o Templo de Elune) não foi incluído na barreira. Quando a repartição veio e o Well of Eternity implodiu, as partes da cidade de Suramar não protegidas pela barreira foram destruídas, explodiu para o fundo do mar.

Preso dentro da barreira mágica, os sobreviventes acreditavam ser o últimos sobreviventes Kaldorei na existência. Eles se voltaram para Elisande como o maior feiticeiro de sobrevivência para ajudar a sustentá-los. Eles a viram como sua salvadora, em última instância, como ela era a pessoa que criou a barreira que os preservou. Isso a deixou com um grande problema para resolver. Se o mundo exterior foi destruído (e ela tinha todos os motivos para acreditar que foi) como é que ela alimentaria o seu povo? Como eles vivem? A antiga rede de linhas ley da Arcway construído sob Suramar era insuficiente para satisfazer todas as suas necessidades. Eles iriam murchar e morrer de sede caçando, sem ter o que fazer.

Mais uma vez, ela se virou para o Olho de Aman’Thul para uma solução.

Suramar | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

O Nascimento do Nightwell, o retorno da Legião

O mesmo poder que ela usou para criar a barreira foi agora reaproveitado e juntou-se com um último remanescente do poço de águas da eternidade para criar o Nightwell, uma fonte de poder arcano cru. O Nightwell tornou-se tudo para os Elfos presos em Suramar. Ele manteve a barreira e os Elfos dentro dele vivos, e seu poder enorme banhando todos eles.

Ao longo de milhares de anos, os elfos de Suramar mudou de sua exposição constante ao poder arcano bruto do Nightwell. Foi a sua comida, sua bebida, que é usado para criar armas e armaduras e roupas. Ele estava no ar que respiravam. Mesmo o High Elves de Quel’Thalas e sua Sunwell não poderia realmente conceber uma dependência total desse – sem a Nightwell, estes elfos não tinham nada. Eles destilavam suas poderosas energias em Arcwine, que manteve-os vivos na ausência de outro sustento. E eles mudaram.

Estas mudanças foram graduais, mas eles tinham mais de 10.000 anos para se manifestar. Eles vieram a chamar-se Shal’dorei, os Filhos da Noite ou Nightborne. Deles era uma sociedade de isolamento que acreditava-se serem os únicos, os últimos sobreviventes da Sundering. Aqueles que desafiaram a ordem de Elisande foram exilados de Suramar, para nunca mais voltar. O Nightborne não sabia seu destino final e não se importavam também. Com o Nightwell surgindo no coração de Suramar, a antiga linha ley nexo debaixo da cidade foi esquecida e abandonada à decadência, e se o Nightborne admirar o custo da sua sobrevivência e dependência do Nightwell eles não proferir esses pensamentos, a idéia de ser exilado era visto como uma sentença de morte.

Por dez mil anos Suramar continuou. Então eventos transpareceram que mudaria tudo. Em primeiro lugar, o antigo Templo de Eluna foi levantado pelo Guardião Aegwynn, possivelmente influenciado por Sargeras, e usado para conter o cadáver de seu Avatar e as posses que tinham transportado para Azeroth. Ela afundou-o novamente, mas algumas centenas de anos mais tarde, o Orc Warlock Gul’dan iria levantá-lo novamente e morrer dentro de suas paredes. Finalmente outro Gul’dan viria e abriria o portal que Elisande tinha selado há muito tempo. Agora que ele foi aberto, o Olho de Aman’Thul sozinho não foi suficiente para fechá-lo.

Pior, Gul’dan e a Legião retomou seu ataque a Suramar, batendo na barreira.

Suramar | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

O Negócio Obscuro

Mas Gul’dan não estava interessado em destruir Suramar. Não, ele queria que Elisande usa-se o Olho para criar – ele queria o acesso ao poder único do Nightwell. Criado das águas originais da Well of Eternity e mudado pelo poder do Olho de Aman’Thul, o Nightwell era o repositório do poder de não um, mas dois Titans: Aman’Thul e Azeroth. O que Gul’dan queria com ele ainda é desconhecido, mas ele se apresentou a Elisande com uma oferta simples. Permitir que a Legião entra-se em Suramar e tive-se acesso ao Nightwell, em troca deixaria seu povo viver. Negá-lo, a Legião acabaria por destruir a barreira, arrasaria Suramar e mataria todo mundo dentro dela, e ele ainda iria obter o Nightwell no final.

Elisande tinha desafiado Azshara e a Legião de dez mil anos atrás, ela é todos os esforços, uma vez tinha sido para preservar o seu povo e sua cultura o melhor que podia. Uma vez que um detentora de relíquias, que ela tinha sido forçada a entrar no papel de líder, mas em seu coração, ela ainda era uma entidade de custódia e ao povo de Suramar, os Nightborne, estavam agora com as relíquias que procuravam preservar. Melhor permitir que a Legião tenha seu caminho livre do que arriscar tudo em um desafio. Ela escolheu permitir Gul’dan entrar no Nighthold e acessar o poder do Nightwell em vez de ver tudo queimar.

Para o povo de Suramar, este foi um choque. Para alguns, como a Primeira Arcanista Thaylssra, argumentou que Gul’dan não faria acordos com o Nightborne se ele realmente poderia romper a barreira, Elisande optou por não correr esse risco. A rebelião liderada por Thalyssra falhou graças à traição de Advisor Melandrus. A barreira caiu e a Legião entrou em Suramar.
Suramar | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Nightborne, Nightfallen, Murchos, e Fal’Dorei

Com a queda da barreira e os demônios infestando sua cidade, os Nightborne teve que se ajustar rapidamente a um grande número de mudanças. O primeiro choque foi descobrir que eles não eram os únicos sobreviventes do Sundering – eles ficaram chocados ao descobrir a existência de Elfos Noturnos vivos nas Ilhas Quebradas e além deles.

Mas o pior choque foi a descoberta de que os exilados de Suramar não simplesmente morreram – o poder antinatural do Nightwell tinha corrompido o Nightborne, e negado o acesso a ele, os exilados da cidade se tornaram Nightfallen, cascas dessecadas. No entanto, os Nightfallen ainda mantiveram suas faculdades em certa medida, no entanto. Um pior destino esperava aqueles que não conseguiam encontrar uma fonte de poder arcano suficiente para sustentá-los e transformar-se em abominações murchas: insensatas que existiam apenas para se alimentar de mana de qualquer fonte. Nightfallen ainda podia falar, pensar e raciocinar. Um Murcho não passava de uma monstruosidade perdida por uma fome e raiva sem fim.

Além destes, um mal antigo se agitou nas entranhas da terra em torno de Suramar propriamente dito: os Fal’Dorei, criaturas horríveis partes iguais de aranha e Elfo, monstruoso e sinistro. Até agora seus planos são desconhecidos, mas eles procuram retornar à superfície e destruir seus parentes antigos.

Suramar é uma terra antiga e os Shal’dorei encontram-se cercados por perigos. Para sobreviver, eles terão que se voltar para o mundo exterior que eles evitam por milênios.

What's your reaction?
Feliz
0%
Resenha dos Livros
Lore dos Personagens
Dranosh Saurfang | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

E se Dranosh Saurfang não Tivesse Morrido?

Proudmore | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Quem são os Proudmoores?

Curvas da Linha do Tempo de Crona

As Curvas da Linha do Tempo de Crona

Balnazzar | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Balnazzar

Fenris Wolfbrother | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Fenris Irmão do Lobo

Nathalion Dawnstrider

Nathalion Dawnstrider

Kilrogg Deadeye | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Kilrogg Olho Morto

Cavaleiro Sem Cabeça | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

A História do Cavaleiro Sem Cabeça

Templo Negro | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Illidan e o Templo Negro

Tirion Fordring | World of WarCraft, WarCraft, wow, azeroth, lore

Tirion Fordring e a queda do Lich King

Desenvolvido por Luiz Silva
Translate »
%d blogueiros gostam disto: