Jaina Proudmoore

Avatar
by luizcsilva on 6 de novembro de 2013

Profissão: Human feiticeira – Agente Especial do Kirin Tor ate o Wc 3 no Word e na nova expansão ela tem funções diferentes na Alliança.
Afiliação: A Aliança
Idade: 23

Jaina Proudmoore é a fundadora e líder da Ilha de Theramore, o maior porto da Aliança na parte sudeste de Kalimdor. Ela é filha de Daelin Proudmoore, irmã de Tandred Proudmoore e Derek Produmoore, e alega-se que seja meia-irmã de Finnall Goldensword. Ela também é a mais poderosa feiticeira humana de Azeroth. Confira logo abaixo a biografia dessa figura marcante do World of Warcraft!

Anos Iniciais

Nascida durante a Segunda Guerra, Jaina Proudmoore é a mais jovem filha do Almirante Daelin Proudmoore, senhor de Kul Tiras e amigo de longa data da Aliança de Lordaeron e Azeroth. Logo jovem, Jaina era apaixonada pelas história da Guardiã Aegwynn. Quando seu talento mágico foi descoberto e ela foi enviada à Dalaran, ela convenceu Antonidas a aceitar ela como sua aprendiz, com o tempo ela acabou sendo uma das poucas feiticeiras que prestavam serviço direto para Dalaran.

Por causa da sua herança real, era inevitável que Jaina e o Príncipe Arthas, herdeiro do trono de Lordaeron, um dia se encontrariam. Ao passar dos anos eles desenvolveram uma amizade muito forte, que acabou se tornando um romance. Eles estavam bem apaixonados e já estavam até preparando o casamento, mas então Arthas começou a questionar se os dois estavam realmente preparados para viverem juntos. Arthas bruscamente terminou sua relação com Jaina, para que ela pudesse focar seus estudos mágicos em Dalaran, e Arthas pudesse focar em sua guarda de Lordaeron. Jaina sofreu muito com a decisão, mas não lutou contra, rapidamente se convenceu de que essa era a coisa certa a se fazer naquele momento.

Pouco tempo depois, eles decidiram reatar o namoro, mas isso aconteceu durante o início da invasão Scourge que iria mudar para sempre a vida dos dois…

Terceira Guerra

Muitos anos depois, Antonidas, curioso para aprender mais sobre a Praga que abalou a parte norte de Lordaeron, se encontrou com o Profeta, que tentou convencer o feiticeiro a levar seu povo para oeste, para Kalimdor. Antonidas dispensou o Profeta considerando ele como um maluco, mas Jaina, que houviu escondida a conversa, sentiu um grande poder no Profeta, e acho que talvez devesse analisar seu aviso. Antonidas continuou a recusar, e ao invés disso mandou Jaina para se encontrar com Arthas, onde ela poderia investigar a Praga na vila de Brill.

Enquanto investigava Brill, Jaina viu algumas coisas muito estranhas, incluindo um necromante e um zumbi feito de várias partes de outros corpos. Eles enfrentaram vários inimigos undeads e encontraram um celeiro que continha grãos infestado com a Praga. Várias caixas já tinham sido preparadas para serem enviadas para Andorhal, o principal centro de distribuição de grãos de Lordaeron.

Junto com Arthas perseguiu o necromante, que era na verdade Kel’Thuzad, um ex-membro de Kirin Tor, até Andorhal, onde encontraram centenas de guerreiros undeads esperando por eles. Não foi isso que impediu os dois de avançarem até alcançarem Kel’Thuzad, morto por Arthas.

Jaina e Arthas voltaram para a parte central de Lordaeron, onde pararam para descansar na pequena vila de Hearthglen. Quando chegaram ali, descobriram que os grãos infectados com a praga de Andorhal, havia chegado e tinha sido distribuído entre os cidadões, que estavam sendo transformados em undeads.

Jaina foi contra, mas saiu à procura de Uther para que mandasse reforços. Quando ela retornou com a Silver Hand, Hearthglen já estava destruída, e Arthas estava lutando uma batalha perdida. Com a ajuda de Uther, eles conseguiram repelir os ataques dos undeads. Arthas, desmoralizado e aterrorizado com a inúmera força dos undeads, jurou ir até Stratholme, onde ele esperava lutar com Mal’Ganis.

Jaina e Uther seguiram com ele até Straholme, mas não chegaram a tempo de evitar que o povo comesse do grão infectado. Todos os três sabiam que era questão de tempo até que o povo de Stratholme virassem undeads e começassem a atacar. Arthas foi a favor de assassinar todas as pessoas antes que elas se transformassem para limpar a cidade, mas Uther não concordava com a idéia de matar inocentes cuja única culpa era ter sido infectado, mesmo que se deixasse eles vivos eles se tornassem uma ameaça. Quando Uther se negou a matar os civis como Arthas ordenou, Arthas renúnciou ele, acusando ele de traição. Mas o que Arthas não esperava, era que sua amada Jaina também lhe desse as costas nesse ato tão terrível.

Após algum tempo, Jaina e Uther voltaram a Straholme, onde encontraram a cidade em ruínas depois que Arthas havia terminado sua loucura. Ambos estava chocados com o que viam. Durante essa passagem, Jaina foi visitada pelo misterioso profeta, que pressentiu o poder de liderança de Jaina e convenceu ela a levar seu povo para o oeste, fugindo de Lordaeron e de seu país natal. Ela se convenceu de que ele estava certo e encorajou seu povo a navegarem com ela para Kalimdor. Ao mesmo tempo em que levantavam âncora para a partida, a invasão à Lordaeron começou, milhared de vidas foram salvas.

Kalimdor

Ao chegar em Kalimdor, Jaina descobriu que havia orcs ali. Suspeitando de uma perseguição da Horda, Jaina começou a lutar contra eles e Grom Hellscream contra-atacou. Depois de uma batalha desastrosa contra a Horda, Jaina começou a procurar um lugar de onde pudesse manter os orcs na praia. Stonetalon Peak (Pico Garra de Pedra) serviu direitinho, mas além disso, Jaina sentiu um grande poder dentro dela. Depois de ser derrotada enquanto defendia a montanha, Jaina liderou uma pequena expedição para explorar a montanha, na esperança de encontrar algum poder que pudesse ajudá-la a derrotar os orcs.

Ao chegar no núcleo da montanha, Jaina trombou com Thrall e Cairne, mas quando estavam prestes a se matarem o Profeta apareceu e implorou para que as três raças se aliassem, pois eles não conseguiriam sobreviver sozinhos contra o poder da Burning Legion. Relutante, Jaina aceitou se aliar com os exércitos de Thrall.

Foi Jaina quem deu a Soul Gem (Gema da Alma) a Thrall, que possibilitou a ele capturar a essência de Grom quando a invasão à Kalimdor começou. Então, ela ajudou ele a expurgar Grom de sua maldição demoníaca.

Jaina e Thrall continuaram aliados, mas seus exércitos não concordavam muito com isso, mesmo com a morte de Hellscream. Eles foram aterrorizados pelos undeads, mas também pelos mortais ataques relâmpagos dos elfos da noite. Apesar da aliança entre eles se manter viva, por muito tempo eles ficaram somente em um estado de espera.

Batalha no Monte Hyjal

Até que Thrall recebeu uma visão. Jaina seguiu ele para onde ele foi isntruído a ir, aonde ele encontrou os líderes dos elfos da noite, Malfurion Stormrage e Tyrande Whisperwind. O Profeta apareceu e revelou ser nada mais, nada menos que Medivh, que havia retornado para corrigir seus erros do passado. Ele implorou que humanos, orcs e elfos da noite se unissem contra a Legião, ou todos eles eles morreriam sozinhos – e foi assim que todos concordaram e defender o Monte Hyjal juntos.

Jaina usou sua magia de teleportação para patrulhar as áreas ao redor, e descobriu Archimonde e seus Doom Guards, que se aproximavam rapidamente da montanha. Os defensores montaram três bases na subida da montanha em uma tentativa de interromper sua subida.

A primeira base era a de Jaina, e também foi a primeira a cair, mas antes que Archimonde pudesse matá-la, Jaina retirou seu espírito de perto das garras de Archimonde. A segunda base a cair foi a de Thrall, e Jaina usou sua energia restante para teleportr Thrall de sua base antes que Archimonde a destruísse, para que então so dois sobrevivessem e pudessem lutar em uma outra oportunidade.

Archimonde terminou sua subida derrubando facilmente a terceira base, mas sua ganância pela World Tree foi tão grande, que enquanto ele retirava o poder da árvore, não percebeu que milhares e milhares de wisps se juntavam ao seu redor e em um movimento sincronizado se explodiram, acabando com o demônio e com toda a floresta ao redor da World Tree.

Fundação de Theramore

Após a derrota da Legião em Mount Hyjal, Jaina pegou os sobreviventes e levou eles para uma ilha na costa leste de Kalimdor, que ela nomeou de Theramore.

O momento exato da fundação de Theramore é desconhecido (alguns dizem que foi antes da batalha no Monte Hyjal, alguns falam que foi depois), mas independente disso, essa cidade foi de extrema importância para a fundação da nação orc, Durotar. E até hoje, devido ao trabalho de Jaina, Theramore é o maior bastião dos humanos em Kalimdor.

Quando Rexxar pediu uma explicaçao para a invasão dos humanos em Durotar e em uma tentativa de assassinato, Jaina negou ter conhecimento. Quando ela acitou a ajudar na investigação de Mok’Nathal, eles descobriram que o posto acusado estava sobre ataque das nagas. Após um encontro com um marinheiro quase morto, Jaina descobriu com grande horror que seu pai tinha decidido lhe fazer uma visita. Jaina implorou para que o Almirante poupasse Rexxar, mas Daelin não teria isso. Rexxar e seus amigos conseguiram escapar e Thrall enviou um exército para expulsar os ataques de Proudmoore.

Jaina estava em desespero, por um lado tinha a lealdade à seu pai e à sua nação e do outro havia sua experiência com a Scourge e com a Legião, que acabou convencendo ela de que vinganças como a que seu pai estava fazendo eram irrevelantes. Jaina ajudou a Horda a ganhar navios dos goblins e ordenou sua própria tropa a ficarem parados quando eles atacaram Theramore. As últimas palavras de Jaina para seu pai foram perguntando porque ele não havia escutado ela.

Ciclo de Ódio

Theramore e Durotar se manteram em paz por trêas anos, apesar dos dois super-inimigos ainda se preoucuparem com a existência um do outro. Com o tempo, uma série de pequenos incidentes com navios levou à uma extrema tensão entre os dois poderes, o suficiente para que os goblins, que controlavam o único porto neutro da reunião, reclamassem.

Apesar da tensão, Thrall pediu ajuda à Jaina para realocar uma manada de Thunder Lizards que haviam debandado por causa do desmatamento em Thunder Ridge. A intenção de Jaina era mandar os Lizards para uma região grande e sem muita população em um canto afastado de Mulgore, mas ela foi surpreendida pela descoberta de que aquela área estava completamente isolada magicamente para proteger apenas um habitante: Aegwynn.

Jaina ficou admirada com a ex-Guardião, que havia a explicação para o motivo da tensão entre Theramore e Durotar, um demônio menor, Zmodlor, reviveu o clã Burning Blade e estava brincando com seus poderes jogando uma cidade contra a outra.

Rapidamente Jaina e Aegwynn voltaram para Theramore, onde descobriram que até o mordomo de Jaina havia sido corrompido pela Burning Blade. Após acabarem com esse traidor, foram atrás do próprio Zmodlor. Infelizmente, o demônio estava coberto por um pequeno grupo de warlocks. Jaina quase foi morta nessa perseguição, mas Aegwynn usou a força de sua própria vida para ajudá-la, e Jaina pode derrotar os warlocks e banir Zmodlor para o Twisting Nether. Depois que a crise passou, Jaina e Thrall assinaram um pacto permanente de paz para garantir que a desconfiança entre os dois povos não pudessem levar as duas cidades à guerra novamente.

E contra toda a lógica, Aegwynn sobreviveu, e hoje assume as tarefas deixadas pelo mordomo de Jaina.

Northrend

Após a morte de Bolvar Fordragon, o Rei Varain Wrynn preparou as forças da Aliança para uma batalha definitiva contra a Horda. Desesperada para evitar uma Quarta Guerra, Jaina se teleportou para Orgrimmar para descobrir a verdade sobre os que havia acontecido em Northrend. Ela descobriu que Sylvanas Windrunnes havia sido traída e Varimathras havia tomado o controle de Undercity. Thrall garantiu à Jaina que a Horda não tem interesse em uma guerra contra a Aliança e que tomaria controle do traidor – e Jaina tentaria parar Varian, o que não seria fácil, já que Bolvar era praticamente um irmão para o rei.

Isso se comprovou quando o exército de Thrall (tentando retomar o controle de Undercity) e do Rei Wrynn (querendo retomar Lordaeron para a Aliança e punir Putress) se toparam dentro de Undercity. Para evitar que Horda e Aliança se enfrentasse ali, Jaina esfriou (literamente) os ânimos do exército e teleportou eles devolta a Stormwind.

Mais recentemente ela tentou acalmar um encontro entre o Rei Varian Wrynn e Garrosh Hellscream quando eles estavam discutindo sobre a descoberta do Deus Antigo na cidade titã de Ulduar. Manter a paz entre esses dois líderes cabeça-duras não é fácil, mas Jaina têm se dedicado a focar a energia deles em derrotar o Lich King. Para Jaina isso é muito mais do que apenas defender seu povo: é pessoal. Talvez em seu coração ela ainda acredite que o Arthas que ela conheceu no passado ainda exista em algum lugar no fundo do Lich King, esperando por liberdade.

What's your reaction?
Feliz
100%
Resenha dos Livros
Lore dos Personagens

N’Zoth

Alonsus Faol

Alto Suserano Varok Saurfang e a luta pela honra

A Morte de Sylvanas Windrunner

A Ascensão do Arathi

Calia Menethil a Última Herdeira do Trono de Lordaeron

Nathanos Marris, o Blightcaller

A Linhagem Fordragon

E se o Bolvar Fordragon nunca se tornasse o Lich King?

Os Mistérios dos Draeneis e Naarus

Translate »
%d blogueiros gostam disto: